Formação Sublime

O que propomos

Formação Sublime

O desafio

Quando concebemos a formação Sublime, centramos a nossa vontade e desejo no facto de acreditarmos que cada um de nós é capaz da sua versão mais Sublime.

Este desafio surge quando, no nosso próprio percurso, existe uma consciência alargada de que tudo está em nós. E falamos de consciência porque só aí reside o poder transformador que todo o ser humano, a dada altura, procura. “O poder está em ti!” é uma frase gasta, mas talvez por isso mesmo nos agarremos nela. Se é repetida ao longo dos séculos, se é uma máxima com que nos cruzamos a todo o momento, então por que não somos capazes de viver esse conceito?

Sendo leitores ávidos de várias correntes e autores que de algum modo tocam este aspeto da vida, começamos a perceber que a maior dificuldade estava em trazer todos os conceitos para a prática. As pessoas diziam-nos: “…sim, as ideias são consensuais, fazem sentido.”; “Sim, a vida não pode ser só isto, de facto esse conceito tem toda a lógica…”. Mas depois surgem as dúvidas: “Como fazemos? Refugiamo-nos nas montanhas? Largamos tudo e todos?”.

Aí tornou-se óbvio que a grande barreira estava em viver os conceitos!

E também aí começa esta viagem e este sonho de podermos fazer parte do regresso de cada um ao seu centro.

Regresso esse que será vivido no aqui e agora da nossa rotina.

O que propomos

No fundo, aquilo a que nos propomos é desafiar as pessoas a regressarem à sua essência, a reclamarem aquilo que são e daí para a frente manifestarem desse lugar que é único e vibrante!

Talvez a velocidade e intensidade em que vivemos não nos permita tomar consciência  de que não estamos à mercê dos acontecimentos. Somos sim o fim e o início de tudo o que estamos a experienciar.

Por isso, esta formação focar-se-á num leque abrangente de questões relacionadas com o lado menos visível e concreto do nosso ser: a essência, a forma como a manifestamos, o poder que de algum modo distribuímos, o ego, o poder dos pensamentos, o Amor e a sua força transformadora e, em primeira e última instância, a capacidade que reside em cada um de nós de sermos a nossa versão mais Sublime.