Não escolhes sonhos!

Não escolhes sonhos!

Os sonhos escolhem-te!

Vive (com amor) o que te escolhe!

Os sonhos escolhem-nos. Não o contrário. Um dia sabes (porque sabes) que tens um sonho. Apercebes-te que ele está lá. Depois esse sonho fica aí a provocar-te. Uns seguem. Outros não.

Sobre o início da realização de um sonho, deixa-me só dizer-te o seguinte: quando o Messi tinha 11 anos disseram-lhe que era um anão e que não teria futuro no desporto. Ao Michael Jordan disseram-lhe, aos 10 anos, para procurar outro desporto porque não tinha jeito para o basquete. Aos pais de Albert Einstein que quando  tinha 4 anos ainda não falava e tinha dificuldades de memória, disseram-lhes que ele era retardado. Walt Disney foi despedido de um jornal por falta de criatividade. Steven Spielberg chumbou no secundário na cadeira de cinema porque tinha “ausência total de talento”. Thomas Edison foi expulso da escola porque diziam que era atrasado mental. Sobre a ópera “As bodas de Fígaro”, de Amadeus Mozart, o imperador disse que havia muito ruído e pouca música. Brian Acton foi recusado no Facebook e no Twitter e decidiu, então, fundar uma coisa que se chama “WhatsApp”, que vendeu, mais tarde, por 19 mil milhões de dólares ao Facebook. Gisele Bundchen reprovou 42 vezes até ser aceite como modelo…  Sim! A vida vai testar-te . Vai querer saber até que ponto tens Alma para viver e realizar esse sonho. No início, vai puxar-te  para lá do limite. Tens duas hipóteses: ou morres a tentar ou desistes e nem tentas.

Como saber? Segue um sonho pelo qual valha a pena falhar.

Deixe um comentário

* Campos de preenchimento obrigatório